GROTOWSKI • Os Exercícios Físicos

DIÁRIO DE BORDO

Trabalho de Conclusão de Curso - FAP



Este foi um dos primeiro relatos que fiz sobre as experiências iniciais, antes mesmo de apresentar o projeto à banca, de quando das investigações do trabalho de conclusão de curso que teve como horizonte os exercícios físicos de Grotowski. O autor me instigou primeiramente porque se interessava pela condição humana e segundamente porque explorava a relação com o mundo de forma física, perceptiva e sensorial.

Nos próximos dias, quero ir postando as experiências que se seguiram e, seria muito importante receber perguntas, dúvidas, comentários e proposições...

"O inicio da sequência dos exercícios físicos, que são acrobáticos,  foi estava sendo executado com rigor técnico, a única investigação era a respeito do eixo e equilíbrio do corpo. Fiquei cansada  rápido, mas segui com a observação da respiração segundo as instruções de Grotowski sobre confiar na natureza. Com tranquilidade explorei por longo tempo. De inicio, foi o processo de respiração pelo abdômen, sem a preocupação de inflar o peito, procurando deixar o corpo em posição confortável, deitada de costas, notei que meu peito estufava levemente, mas devido a uma leve resposta ao movimento abdominal e que, minhas costelas estufavam com a entrada do oxigênio, exatamente conforme descrito por Grotowski em seu Teatro Laboratório quanto fala da voz. Um principio muito básico para quem se pretendia aprofundar em questões a cerca da atuação do ator contemporâneo, porém um inicio de entendimento do próprio corpo e abertura para desdobramentos orgânicos. E foi o que acontecera. Vi-me cúmplice do meu aparato físico e a respiração, espontaneamente, apresentara os seguintes aspectos no corpo:

rápido/curto/pesado
rápido/curto/leve
rápido/longo/pesado
rápido/longo/leve
lento/curto/pesado
lento/curto/leve
lento/longo/pesado
lento/longo/leve

Todos esses aspectos oscilavam entre os volumes alto e baixo sem mesmo ter produzido sons vocalizados que fora explorado no passo seguinte, sem ansiedade. Algumas vibrações ora na garganta, ora na máscara da boca, ora na cabeça, começaram a surgir espontaneamente, emitindo assim sons de múltiplas tonalidades. Aquele momento lembrou-me Yma Sumac. Grotowski a apreciava e chegou a mencionar que o ator deveria se utilizar dos recursos de respiração e voz da forma que a cantora se utilizava para cantar. Impressionantemente este simples ato de respirar sem compromisso técnico (embora houvesse atenção e um certo mecanismo) deu vazão å sensações diversas que aconteciam simultaneamente ou consecutivamente, mas eram sensações de desconforto, prazer, angustia, alegria, desespero, sombrias e, o mais importante da pesquisa à qual me propunha neste momento: o experimento da multiplicidade de sensações, num único movimento. Por exemplo, dos braços levantados como asas, impulsionando a respiração, ou a respiração impulsionando os braços, ja não havia como precisar onde começava o impulso. Como não há um modo de decorar esses signos produzidos pelo corpo porque são inúmeros, o treinamento constante seria então primordial para exercitar o fisico no auxilio da composição e reprodução. Com o tempo de exercícios notei que meu aparato fisico entrava em uma espécie de “memória corporal”.  Onde possivelmente eu estaria aberta å uma experiência fenomenológica, não precisando racionalizar sobre os gestos, eu podia presenciar o espaço e o tempo de maneira simbiótica. Quanto mais treinamento, mais memória minha musculatura ia criando, os gestos ficando mais precisos e, este é um processo que parece não ter fim, e por falar em finito, sei que ninguém pode afirmar o que é eternidade, mas posso dizer que no meu conceito da mesma, ali vivi o eterno. Selecionei então para as próximas investigações corporais uma serie de exercícios acrobáticos a fim de lidar com alguns limites que nos são impostos pelo espaço, como por exemplo, a força da gravidade. O receio maior era de cair em um aprisionamento estético promovido pelos exercícios."

Então se ficar afim, acompanhe os diários de bordo e poderemos trocar informações que agreguem no exercício artístico teatral. Segue aí e compartilha com os amigos que se interessam pelo tema.

Ah, e fique agora com um pouquinho de Yma Sumac!


Boa noite!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Coisas que Morrem e Coisas que Vivem

Entre Murmúrios e Lágrimas